Aulas de Texto | Cena de Ação 2

|

Olá, amoras! 
Eu sei que demorei imensamente para escrever essa aula, mas tudo tem sido tão corrido ultimamente que mal estou tendo tempo para me dedicar aos blogs. 
O importante é que voltei e pronta para dar algumas dicas sobre como escrever uma boa cena de ação.

Para quem já leu uma fanfiction minha, sabe quanto eu amo escrever esse tipo de cena e eu tenho pra mim que são meu forte. Por isso resolvi compartilhar com vocês o processo que utilizo para escrever com algumas dicas e explicações que podem ajuda-la ao escrever a sua. 



Na aula passada conversamos sobre os preparativos para uma cena de ação, na qual mostrei a vocês três tópicos importantes a se pensar antes de mais nada. Hoje, continuaremos trabalhando em cima dos três tópicos, entretanto, de maneira mais aprofundada. 



Assim com todas as outras cenas há pontos a se pesar antes de escrever e no nosso caso, o primeiro deles é que tipo de cena eu quero escrever?



Você pode ter cenas de:


Tiroteio;

Perseguição de carro;
 Luta corpo a corpo;

Conflito armado;
♥ Assassinato;
♥ Corridas;
 Suicídio;
 Entre outras


Dessas todas a única que ainda não escrevi foi uma de suicídio, mas apenas por falta de necessidade de ter uma em alguma fanfiction. Com o restante já trabalhei mais de uma vez e, em todas elas,  primeiramente, fiz uma lista de perguntas a mim mesma e baseada nas respostas eu redigi. 





Quem vencerá a briga e como? 

Todo mínimo gesto na sua cena de conflito deverá ser reflexo de um resultado pré estabelecido, pois se uma personagem A deverá ganhar a briga, você tem que saber a maneira como isso ocorrerá para descrever os acontecimentos até chegar nesse ponto que deseja. 


Qual das personagens tem mais habilidades nesse tipo de conflito?

Isso já discutimos na primeira aula e sabemos que tudo dependerá da história de vida da sua personagem. 


Algum fator externo implicará no resultado?


Outro quesito que já foi abordado na aula passada. O ambiente poderá influenciar de maneira positiva ou negativa no conflito.




Eu acredito que para que qualquer cena seja realmente incrível você precisa fazer o leitor sentir junto com as personagens. Por esse motivo sentimentalize emocione seu texto. Como assim, HeyLife? Simples, seja minucioso não só nos gesto do conflito, mas na sensações das personagens juntamente. Explore o uso dos cinco sentidos e da adjetivação de tudo que for possivel. Eles são os grandes responsáveis por torna uma cena real. 
Quanto mais você estimular a mente do seu leitor, mais sensitivo ele fica e assim, mais ele entra na sua história. 

Eu não sou nenhuma perita em cena de ação, mas acredite em quem já quebrou muito a cabeça antes de escrever algo bacana: o leitor consome aquilo que o convence e o envolve.




Vamos aos exemplos: 


1. Conflito armado


" Pé diante de pé, caminhou tácito até à abertura que dava início ao limitado corredor. Mal tinha perdido Sophie de vista quando notou uma movimentação rápida à sua esquerda. Um indivíduo, que não pôde identificar devido às vestes pretas, atacou-o ao sair do primeiro quarto na surdina, tentando acertar-lhe um golpe com uma arma na nuca. Contudo, antes que pudesse completar, Bieber foi mais rápido, torcendo o pulso para o lado do opoente e lançando a faca a uma curta distância, que foi o suficiente para perfurar-lhe o abdômen.Em seguida, ergueu o braço atingindo o cotovelo contra o maxilar dele, o que o fez dar dois passos para trás, retornando ao quarto, e quase deixar a pistola cair.

Antes que o homem tivesse oportunidade para pensar em agir, o som de gritos agudos vindos da cozinha chamaram a atenção de Justin, que novamente partiu para cima do homem, puxando a faca do ferimento, antes de causar no desconhecido uma lesão fatal na lateral do pescoço. Quase no mesmo momento em que agira daquela forma impensada, o rapaz sofrera com uma última tentativa do outro de feri-lo, mas dessa vez com sucesso. Ao puxar o gatilho antes de ser atingido, o homem acertara Bieber na lateral do corpo e de raspão.

Sem parar muito para sentir a dor da pele queimando, Justin pegou a arma caída ao lado do corpo ensanguentado no chão e praticamente correu até à sala onde um segundo homem vestido semelhante ao primeiro, encarava a garotinha pedindo com um sinal de mãos para que ela parasse de chorar e gritar. E antes que ele pudesse notar sua presença ali, ergueu o revólver equipado com um silenciador e mirando adequadamente, acertou um tiro perfeito na lateral da cabeça do homem que demorou poucos segundos a cair no chão, como o primeiro, sem vida em cima de uma poça do próprio sangue.
"




Notem que os detalhes dão ao texto vais veracidade. Obviamente que poderia estar melhor se tivesse usado ainda mais as emoções, entretanto, já podemos considerar como uma cena boa, pois a linearidade dos acontecimentos consegue envolver e fazer o leitor compreender o que realmente está acontecendo.


Antes de escrever a cena descrita a cima, as nossas três perguntas fundamentais foram respondidas:



Quem vencerá a briga e como?

O protagonista vencerá a briga tirando a vida dos dois invasores utilizando algum tipo de arma.


Qual das personagens tem mais habilidades nesse tipo de conflito?

O protagonista, porque ele possuí treinamento militar para esse tipo de situação.


Algum fator externo implicará no resultado?

Nesse caso, não. 




2. Corrida




" Tereza adorava aquela sensação. Sentir o vento tocando os cabelos enquanto dirigia a cem por hora sem rumo. Ela afastou uma das mãos do volante, ajeitou o cachecol que insistia em tocar seu rosto, olhando para o lado vendo que a Ferrari vermelha estava muito próxima de seu veículo. O rapaz, dono do carro, alargou o sorriso pretensioso ao notar que iria ultrapassá-la. Ele piscou e jogou um beijo para a moça.

Tess sempre fora observadora e conhecia aquele tipo de corredor. Gostava de chamá-los de “amantes”. Eram o tipo de caras, raramente mulheres, que amavam a si próprios mais do que tudo, assim como seus pertences e títulos. Notara que ele tinha a Ferrari como um troféu. Antes da corrida o viu xingar uma garota que tentara sentar no capô do carro. Tolo. Ela sabia que precisava ser radical se quisesse vencer o homem dono do sorriso bonito. Sabia exatamente como fazer.

A garota o viu ultrapassar, tentou acelerar, mas como já era esperado ele a bloqueou, ficando a sua frente. Trocou de marcha, diminuindo um pouco a velocidade. Quando tomou uma distância razoável  do escarlate, pisou no acelerador o mais fundo que conseguia, vendo o ponteiro do velocímetro ir de noventa e cinco para cento e dez quilômetros por horas rapidamente. O rapaz, que não estava numa velocidade tão alta quando a dela, arregalou os olhos quando viu que o carro da garota se aproximava com ligeireza de sua traseira.

A centímetros do choque, ele virou o volante em um movimento desesperado, tentando evitar o baque. E o conseguiu, entretanto, no processo, acabou levando uma pancada na lateral, do terceiro corredor que diria uma Lamborghini preta.
Martinez, que dirigia uma BMW em um prata escuro, sorriu largamente enquanto avançava sozinha para linha de chegada."



Novamente poderia estar melhor, mas a caracterização e adjetivação foram utilizadas para dar mais realidade a cena. 

Quem vencerá a corrida e como?

A "vilã" da história utilizando observações tidas anteriormente. 


Qual das personagens tem mais habilidades nesse tipo de situação?

A "vilã", pois ela conhece e sabe usar os pontos fracos dos adversários. 


Algum fator externo implicará no resultado?

Nesse caso, não.




Bom, espero que tenham gostado dessa aula!
Lembrem-se: A riqueza de detalhes estimula a imaginação do leitor! 



Obrigada pela atenção

XoXo 







Um comentário: